PESQUISA 

Stats

O FC Porto desloca-se ao Estoril na sequência de três derrotas consecutivas como visitante e com a obrigatoriedade de vencer, para manter a pressão sobre Benfica e Sporting, que ocupam os dois primeiros lugares da tabela classificativa da Liga. Se em 2013/14 estiveram seis saídas seguidas sem ganhar, é preciso recuar muito mais, até 2005, para se encontrar uma equipa do FC Porto que tenha perdido três jogos consecutivos como visitante. Agora é preciso evitar o quarto, que os dragões não conhecem desde 1985. Depois das vitórias frente ao Boavista para a Liga (5-0) e para a Taça de Portugal (1-0), ainda com Rui Barros aos comandos, o FC Porto perdeu as três deslocações que se seguiram: 1-0 com o Vitória em Guimarães, o mesmo resultado com o Famalicão e 2-0 com o Feirense, este último desafio já com José Peseiro no banco a liderar a equipa. Começam por ser preocupantes as dificuldades que os dragões têm encontrado para fazer golos fora do seu estádio, pois são já três jogos seguidos a zero. Mas mais negro se torna o panorama quando se percebe que é preciso recuar mais de dez anos para se encontrar uma série tão negra. Em Março e Abril de 2005, a época horrível que se seguiu à saída de José Mourinho, o FC Porto perdeu consecutivamente em Milão com o Inter (3-1), em Alvalade com o Sporting (2-0) e no Bessa com o Boavista (1-0), reagindo ao quarto jogo, no qual foi ganhar ao Beira Mar em Aveiro por 1-0, com golo de Quaresma ao minuto 89. Para se encontrar uma série de quatro deslocações seguidas com derrota é preciso ir muito mais atrás, a Novembro e Dezembro de 1985, quando a equipa dirigida por Artur Jorge perdeu consecutivamente com Benfica (1-0), Portimonense (1-0), V. Guimarães (2-1) e Sp. Covilhã (2-0). Desde então, a equipa portista já teve várias situações de duas derrotas seguidas fora de casa, mas conseguiu sempre pontuar à terceira partida. Foi o caso de 2013/14, em que esta situação se repetiu por três vezes. Às derrotas frente a Académica (1-0) e Atlético Madrid (2-0) seguiu-se uma vitória ante o Rio Ave (3-1). Depois, na sequência dos insucessos com o Benfica (2-0) e Marítimo (1-0) apareceu uma vitória no terreno do Gil Vicente (2-1). Por fim, quando o FC Porto perdeu frente ao Nacional (2-1) e ao Sevilha (4-1), foi o Sp. Braga a pagar as favas (3-1). De 2013/14 vem também a última série de três deslocações seguidas sem que o FC Porto tenha conseguido marcar golos – mas também aí a equipa reagiu ao quarto jogo: após um empate a zero com o Sporting em Alvalade e as derrotas nos terrenos de Benfica (2-0) e Marítimo (1-0), ganhou a tal partida ao Gil Vicente, graças a um bis de Varela (2-1).   - Desde Dezembro, o Estoril tem sempre alternado resultados nos jogos em casa: ora ganha, ora cede pontos. Após o empate com o Nacional (1-1, a 6 de Dezembro), venceu o Penafiel (1-0, a 16). Depois perdeu com o V. Guimarães (1-0, a 19) e ganhou ao Belenenses (2-0, a 10 de Janeiro). Por fim, perdeu com o Benfica (2-1, a 16) e recebe agora o FC Porto.   - À exceção do jogo com o V. Guimarães, Leo Bonatini fez golos em todos os desafios do Estoril em casa desde o empate com o Rio Ave, a 24 de Outubro. Marcou à Académica (1-1), Nacional (1-1), Penafiel (1-0), Belenenses (2-0) e Benfica (1-2).   - Será a primeira vez que Fabiano Soares e José Peseiro se defrontam como treinadores. O técnico do Estoril perdeu até aqui sempre que defrontou o FC Porto, equipa que foi a primeira a derrotá-lo na qualidade de treinador principal e à qual nunca fez um golo: perdeu por 5-0 na época passada e por 2-0 esta temporada, sempre no Dragão.   - Peseiro, por sua vez, perdeu na última vez que levou uma equipa ao Estoril (2-1, com o Sp. Braga, em 2013), mas arrancou ali para uma série de bons resultados na sua passagem pelo Sporting. Após um início difícil e quatro jogos seguidos sem ganhar, os leões venceram no Estoril por 4-1, em Outubro de 2004, encetando uma recuperação que os levaria ao topo da Liga.   - Matheus estreou-se pelo Estoril a jogar contra o FC Porto, a 6 de Abril do ano passado. Fabiano Soares fê-lo entrar para o lugar de Filipe Gonçalves a 15 minutos do fim de um jogo que os canarinhos já perdiam por 4-0 e que acabou com 5-0 para os dragões.   - O lateral Mano pode fazer o jogo 100 pelo Estoril, depois de se ter estreado a 13 de Setembro de 2012, com uma vitória por 1-0 na Taça da Liga, frente ao U. Madeira. Dos 99 em que já atuou, 73 foram na Liga portuguesa, 10 na Liga Europa, oito na Taça de Portugal e outros oito na Taça da Liga. Ainda não fez um único golo com a camisola amarela.   - O FC Porto ganhou os últimos dois jogos ao Estoril, ambos sem sofrer golos, mas já não vence na Amoreira desde Outubro de 2012, tendo entretanto empatado ali por três vezes, todas com o mesmo resultado: 2-2. A última vitória dos dragões no Estoril foi para a Liga e teve Vítor Pereira como treinador, tendo acontecido de virada, graças a golos de Varela e Jackson Martínez, depois de Steven Vitória ter adiantado os canarinhos.   - Nos três últimos jogos jogados entre o Estoril e o FC Porto no António Coimbra da Mota, todos eles terminados com um empate a dois golos, os estorilistas tiveram sempre um penalti a favor. Converteram-nos Steven Vitória (Taça da Liga, em Dezembro de 2012), Evandro (Liga, em Setembro de 2013) e Tozé (Liga, em Novembro de 2014). Em dois destes três jogos, o FC Porto só chegou ao empate em período de descontos, com golos de João Moutinho e Oliver Torres.   - A última vitória do Estoril sobre o FC Porto foi no Dragão, em Fevereiro de 2014, e também resultou de um penalti, na altura convertido por Evandro no 1-0 final. Em casa, o Estoril não ganha ao FC Porto desde Janeiro de 1979, altura em que a equipa canarinha era a “besta negra” do FC Porto de Pedroto, que esteve sem ganhar ali de 1975 a 1988. Nessa tarde, marcaram Vitinha, Marinho e Fonseca, todos nos últimos 10 minutos, para um 3-0 que eliminou os dragões da Taça de Portugal.
2016-01-29
LER MAIS

Artigo

O Sporting venceu o FC Porto por 2-0 e continua imparável nos clássicos, tendo ganho os primeiros quatro da época, pois a esta vitória somam-se as três obtidas contra o Benfica na Supertaça, na Liga e na Taça de Portugal. Esta foi a primeira vez que o Sporting ganhou os primeiros quatro clássicos da época, mas não a primeira vez que ganhou quatro clássicos consecutivos: tinha-o conseguido em 1948, quando ganhou ao Benfica a 25 de Abril (4-1, para a Liga), ao FC Porto a 16 de Maio (5-2, para a Liga), e mais duas vezes ao Benfica a 27 de Junho (3-0 para a Taça de Portugal) e a 14 de Novembro (5-1 para a Liga). Encalhou à quinta partida, perdendo por 1-0 frente ao FC Porto a 5 de Dezembro, no Campo da Constituição.   - Continua assim a saga negativa do FC Porto em Alvalade, onde os dragões já não ganham há dez jogos, com seis empates e quatro vitórias leoninas. A última vez que o FC Porto venceu o Sporting em Alvalade foi a 5 de Outubro de 2008, por 2-1, graças a golos de Lisandro López e Bruno Alves, tendo João Moutinh feito o tento dos leões.   - Além de Alvalade, nota-se a incapacidade do FC Porto ganhar em Lisboa. É que são já 12 os jogos seguidos desde a última vitória dos dragões em Lisboa, um 3-2 sobre o Benfica, a 2 de Março de 2012. Desde aí, o FC Porto soma três derrotas e dois empates com o Benfica na Luz, dois empates com o Belenenses no Restelo e duas derrotas e três empates com o Sporting em Alvalade.   - Slimani chegou aos 14 golos na época e está a apenas um de toda a produção na época passada. Fez, além disso, o quarto golo em clássicos nesta temporada, só tendo ficado em branco no desafio da Supertaça. De resto, fez o segundo golo nos 3-0 ao Benfica na Luz, o tento que decidiu o prolongamento (2-1) frente aos encarnados na Taça de Portugal e agora ambos os golos dos 2-0 ao FC Porto em Alvalade.   - O argelino foi, além disso, o primeiro jogador do Sporting a bisar num clássico desde que Liedson o fez numa vitória por 3-2 frente ao Benfica, em Fevereiro de 2009. Num jogo com o FC Porto, o último leão a marcar dois golos tinha sido Romagnoli, nuns 4-1 a contar para a Taça da Liga, poucos dias antes desse jogo com o Benfica.   - O Sporting obteve a décima vitória consecutiva em casa, depois da derrota contra o Lokomotiv de Moscovo, a 17 de Setembro, a contar para a Liga Europa. Os leões continuam a perseguir a série de 2011/12, quando a equipa de Ricardo Sá Pinto ganhou consecutivamente os derradeiros onze jogos no seu estádio.   - Além disso, os leões aumentaram para 24 o total de jogos que levam sem perder me casa para a Liga desde que foram batidos em Alvalade pelo Estoril de Marco Silva, a 11 de Maio de 2014 (1-0, na última jornada desse campeonato). Aqui, perseguem a marca estabelecida pela equipa de Paulo Bento, que esteve 26 jogos seguidos sem perder em Alvalade para a Liga entre um 0-2 contra o Benfica a 1 de Dezembro de 2006 e um 1-2 contra o FC Porto a 5 de Outubro de 2008.   - Foi a primeira derrota do FC Porto na Liga desde 25 de Janeiro do ano passado, quando os dragões foram batidos nos Barreiros pelo Marítimo, por 1-0. Desde aí, a equipa de Lopetegui somara 30 jogos sem perder no campeonato, com 24 vitórias e seis empates.   - Foi, além disso, a segunda derrota seguida do FC Porto em todas as competições, depois de ter sido batido pelo Marítimo, no Dragão, para a Taça da Liga (1-3). Lopetegui nunca tinha perdido dois jogos seguidos no FC Porto, pois a última série de duas derrotas consecutivas dos dragões já datava de Novembro de Dezembro de 2012, quando a equipa de Vítor Pereira foi consecutivamente batida pelo Sp. Braga (2-1, na Taça de Portugal) e pelo Paris St. Germain (2-1 na Liga dos Campeões).   - Apesar de tudo, os 36 pontos que o FC Porto soma nas primeiras 15 jornadas ainda se superiorizam aos 34 que a equipa somou nos primeiros 15 jogos da época passada. Para se encontrar um FC Porto mais forte por esta altura da época há que recuar à última vez que os dragões foram campeões: em 2012/13 tinham 39 pontos à 15ª jornada.   - Muito mais forte está o Sporting, cujos 38 pontos são amplamente mais largos que os 30 que a equipa somava por esta altura da época passada. Para encontrar um Sporting com tantos pontos ao fim de 15 jogos é preciso recuar a 1990/91, quando a equipa de Marinho Peres comandava a Liga com 27 pontos, fruto de 13 vitórias e um empate, que com as regras de pontuação atuais seriam 40.   - O Sporting tem, além disso, a melhor defesa da Liga, com apenas sete golos sofridos, menos cinco do que à mesma altura da Liga anterior. A última vez que os leões chegaram tão pouco vulneráveis à 15ª jornada da Liga foi em 1996/97, quando a equipa que começou a ser comandada pelo belga Robert Waseige e depois viu suceder-lhe Otávio Machado tinha os mesmos sete golos encaixados em 15 jogos.   - Lopetegui apresentou exatamente o mesmo onze inicial que já tinha mostrado na vitória frente à Académica, na 14ª jornada, repetindo onze pela primeira vez na prova desde Março, quando abordou os jogos com o Sporting, no Dragão, e o Sp. Braga, na Pedreira, com os mesmos titulares. Maicon, Herrera e Brahimi são os únicos jogadores em comum às quatro partidas.   - O treinador basco continua sem conseguir ganhar e, pior, sem marcar um único golo em jogos contra equipas dirigidas por Jorge Jesus. Em três jogos, empatou um a zero e perdeu os outros dois pelo mesmo resultado: 2-0.   - O jovem Matheus Pereira foi titular na Liga pela primeira vez, entrando logo num clássico. Já tinha começado vários jogos dos leões esta época, mas nenhum no campeonato: quatro na Liga Europa, um na Taça da Liga e um na Taça de Portugal.   - Estreia na Liga de André Silva, que entrou para o lugar de Aboubakar a 19’ do final depois de já ter sido titular na partida da Taça da Liga frente ao Marítimo.
2016-01-03
LER MAIS

Último Passe

Sporting e FC Porto cumpriram com naturalidade aquilo que a Taça de Portugal esperava deles na estreia. Os leões ganharam com facilidade ao Vilafranquense: ficaram-se pelos 4-0, mas com dois golos de vantagem desde muito cedo, nascidos dos pés do interessante Matheus, que mais uma vez mostrou que um bom atacante precisa de criatividade mas também de sentido prático. O FC Porto bateu o Varzim por 2-0, num jogo cujo vencedor esteve em suspenso até ao segundo golo portista, mesmo em cima do minuto 90, mas apenas porque a vantagem no marcador era mínima, fruto do desperdício do ataque azul e branco. Jorge Jesus aproveitou o facto de estar a defrontar um adversário dos distritais para rodar jogadores menos utilizados, como o estreante Bruno Paulista, testar o regressado Ewerton em competição e dar mais rodagem a William Carvalho, que ficou fora dos jogos das seleções. O Sporting apresentou apenas dois titulares recentes de início (Paulo Oliveira e William), outros dois que têm cumprido esse papel a meio-tempo (João Pereira e Aquilani), mas teve o prémio de ganhar com quatro golos sub-20, de Matheus (dois), Bruno Paulista e Gelson. Os dois tentos de Matheus nos primeiros 16 minutos de jogo revelaram que o jovem brasileiro tem aquilo que, entre os extremos de Alvalade, só Carlos Mané também mostra em iguais quantidades: espírito prático e sentido de baliza. O grau de dificuldade, porém, vai crescer já na quinta-feira, com o Skenderbeu, ainda que o objetivo máximo de Jesus seja naturalmente chegar em pleno ao dérbi de domingo, com o Benfica. Aí sim, estará muito em jogo. À noite, o FC Porto fez um jogo seguro, contra um adversário que está apenas um escalão abaixo, na II Liga, mas que ainda recentemente tinha perdido por 4-0 com a sua equipa B, em Gaia, em jogo de campeonato. Julen Lopetegui poupou de início nove dos onze jogadores que deverá apresentar frente ao Maccabi na terça-feira – só Imbula e Indi ou Layun deverão repetir-se no onze – e mesmo assim teve sempre o comando de jogo. Também marcou cedo, por Tello, podia ter resolvido o jogo com maior brevidade, se Osvaldo tivesse concretizado uma das muitas ocasiões de que dispôs, mas teve de esperar pelo minuto 90 para ver o inevitável André André matar a partida, com o golo da praxe no regresso à Póvoa. Eliminatória resolvida e cabeça já na receção aos israelitas, onde a Champions pode passar para lá de bem encaminhada, ou até no jogo como Sp. Braga, com a ideia de aproveitar os efeitos do dérbi lisboeta.
2015-10-17
LER MAIS

Stats

O FC Porto tem sido intratável nos jogos em casa a contar para a Liga. O último jogador a fazer-lhe ali um golo na principal competição nacional foi Lima, na vitória por 2-0 que o Benfica ali obteve, a 14 de Dezembro do ano passado. Desde então, a equipa sofreu golos na Taça da Liga e na Liga dos Campeões, mas em jogos do campeonato nacional já suplantou os mil minutos consecutivos sem ir buscar a bola ao fundo das redes. São, ao todo, 1025 minutos desde o tal golo de Lima. Lima fez na altura o 2-0 aos 55’. Depois disso, para a Liga, passaram pelo Dragão vários adversários, mas todos com o mesmo desfecho: vitória portista e zero na baliza azul-e-branca. A série teve início com um 4-0 ao V. Setúbal, continuou com um 3-0 ao Belenenses, um 5-0 ao Paços de Ferreira, um 1-0 ao V. Guimarães, um 3-0 ao Sporting, um 1-0 ao Arouca, um 5-0 ao Estoril, um 1-0 à Académica, um 2-0 ao Gil Vicente, outro 2-0 ao Penafiel e, já esta época, um 3-0 ao V. Guimarães. Pelo meio só ali marcaram golos M’Bala (Académica, na Taça da Liga, 4-1), Élio Martins (U. Madeira, Taça da Liga, 3-1) e Thiago Alcântara (Bayern, Liga dos Campeões, 3-1). Se no jogo de sábado o zero nas redes de Casillas subsistir até ao minuto 36, fica batido o recorde mais recente, que é de Helton, em 2007/08, quando a equipa azul e branca esteve 1060 minutos consecutivos sem sofrer golos em casa. Nessa altura a imbatibilidade durou entre o golo com que o belenense Zé Pedro fez a igualdade a uma bola no Dragão (a 2 de Novembro de 2007) e o primeiro dos três com que o Nacional ali ganhou, na penúltima jornada da competição (3 de Maio de 2008), obra de Fábio Coentrão. O objetivo seguinte serão então os 1127 minutos fixados em 1995/96 por Vítor Baía (com breve auxílio de Silvino, que o substituiu num dos jogos) entre os 2-1 ao Sporting (Ouattara, a 20 de Agosto de 1995) e os 6-2 ao Felgueiras (Lewis, a 11 de Fevereiro de 1996). Mas a esses números a equipa de Lopetegui não poderá chegar já nesta jornada.   - O Estoril vem numa sequência muito negativa em deslocações aos terrenos dos grandes para a Liga. Os 4-0 que encaixou já esta época na Luz sucedem-se a três derrotas igualmente pesadas na última Liga: 6-0 no terreno do Benfica, 5-0 frente ao FC Porto e 3-0 com o Sporting A última vez que o Estoril conseguiu fazer algo de positivo na visita a um grande foi em 2013/14, quando ganhou em Alvalade e no Dragão. O treinador ainda era Marco Silva.   - O portista Evandro, que tem estado fora do onze de Lopetegui e que chegou ao Dragão vindo do Estoril, estreou-se na Liga portuguesa a jogar no terreno de um grande (empate a dois golos com o Sporting em Alvalade, em Setembro de 2012) e marcou o golo da última vitória estorilista no Porto: 1-0 no Dragão em Fevereiro de 2014.   - O estorilista Matheus, filho do internacional brasileiro Bebeto, estreou-se na Liga portuguesa no Dragão, vergado a uma pesada derrota por 5-0, em Abril. Viu um cartão amarelo, a exemplo do que lhe aconteceu na outra ocasião em que visitou um grande (os 0-4 com o Benfica na Luz).   - O Estoril tem um campeão nacional no seu plantel. Trata-se do guarda-redes Kieszek, que fez um jogo pelo FC Porto rumo ao título de 2010/11 (10’ na vitória por 4-0 em Setúbal). O extremo Sebá, recentemente transferido para o Olympiakos, estava nas mesmas condições, tendo alinhado em quatro desafios na caminhada para o título de 2012/13.   - FC Porto e Estoril são das equipas mais faltosas da Liga. Os estorilistas cometeram, em média, 20 faltas por cada um dos dois primeiros jogos, ao passo que os portistas ficam um pouco abaixo, com 19,5. Acima dos dois só aparecem Sp. Braga (20,5) e Tondela (21,5).   - O FC Porto é, juntamente com U. Madeira (que só teve um jogo com ele) e Tondela (que nunca o apanhou em campo), a única equipa que ainda não perdeu com Duarte Gomes na Liga. Em 23 jogos dirigidos pelo árbitro de Lisboa, os dragões ganharam 17 e empataram seis. O Estoril também apresenta saldo positivo, com três vitórias e apenas duas derrotas em oito jogos, não tendo perdido nenhuma das cinco derradeiras partidas com este árbitro.
2015-08-27
LER MAIS