PESQUISA 

Artigo

Kostas Mitroglou marcou, na vitória do Benfica sobre o Paços de Ferreira (3-1), pela sétima jornada consecutiva da Liga. Já tinha feito golos nas partidas frente ao Nacional (4-1), Estoril (2-1), Arouca (3-1), Moreirense (4-1), Belenenses (5-0) e FC Porto (1-2), pelo que o golo inaugural da partida em Paços de Ferreira significou que melhorou o máximo (que já lhe pertencia) na Liga de 2015/16, igualando um registo que ninguém obtinha desde Jackson Martínez. O colombiano do FC Porto tinha feito oito golos em sete jogos seguidos, entre a 2ª e a 8ª jornadas da Liga de 2012/13.   O Benfica obteve a oitava vitória seguida fora de casa, pois ganhou todas as deslocações (em todas as provas) desde o empate a zero na Choupana, contra o U. Madeira, a 15 de Dezembro. Pelo caminho ficaram V. Guimarães (1-0), Nacional (4-1), Estoril (2-1), Oriental (1-0), Moreirense (6-1 e 4-1) e Belenenses (5-0). Os encarnados não conseguiam uma série de deslocações tão boa desde 2010/11, quando ganharam nove deslocações consecutivas após a derrota frente ao Hapoel Tel-Aviv (3-0): 3-1 ao Beira Mar, 3-0 à U. Leiria, 1-0 à Académica, 2-0 ao Rio Ave, 4-0 ao Aves, 2-0 ao FC Porto, 2-0 ao V. Setúbal, 2-0 ao Sporting e 2-0 ao Stuttgart. Essa série foi interrompida a 6 de Março de 2011, com uma derrota em Braga, por 2-1.   O Paços de Ferreira, por sua vez, vem com oito jogos seguidos sem ganhar, quatro deles em casa. A última vitória da equipa de Jorge Simão aconteceu a 11 de Janeiro, frente ao V. Setúbal, por 2-1. Desde aí, empatou fora com Académica e Arouca (ambos 1-1), perdeu em casa com o Sporting (1-3) e o Portimonense (2-3), empatou fora com o Arouca (2-2), perdeu em casa com o Boavista (1-0), empatou no terreno do Rio Ave (1-1) e foi agora batido pelo Benfica (1-3). É a pior sequência de resultados do Paços desde os nove jogos seguidos sem ganhar, entre o 1-0 ao Belenenses (a 24 de Novembro de 2013) e o 2-1 ao Sp. Covilhã (a 15 de Janeiro de 2014).   Jonas fez o 50º jogo na Liga portuguesa e assinalou-o com um golo (o seu 44º na prova) de penalti. Foi o sexto penalti de que o Benfica beneficiou na presente Liga, o que deixa os encarnados apenas atrás dos dez de Paços de Ferreira e Sporting. Em contrapartida, os leões já tiveram quatro contra, os pacenses sofreram neste jogo o segundo e os encarnados ainda não foram punidos com nenhum.   O golão de Diogo Jota foi o nono que o jovem pacense fez esta época (sétimo na Liga), mas apenas o terceiro nos jogos em casa. Antes, Jota só tinha marcado no Capital do Móvel a Estoril e U. Madeira, em dois jogos que o Paços de Ferreira tinha ganho. Aliás, dos 13 golos que Jota já marcou como sénior, este foi o primeiro que não impediu a derrota do Paços. Até aqui, sempre que ele marcou, o Paços de Ferreira só não tinha ganho um jogo: o empate a uma bola com a Académica.   LIndelof fez o seu primeiro golo pelo Benfica – já tinha marcado na equipa B – e na Liga. O último golo do sueco tinha sido a 10 de Abril de 2015, num empate a duas bolas entre o Benfica B e o Chaves.   O Benfica continua a ter o ataque mais realizador da Liga, agora com 63 golos em 23 jornadas. É a maior produtividade atacante de uma equipa do Benfica no campeonato desde 1983/84, quando a formação liderada por Sven-Goran Eriksson chegou à 23ª jornada com mais nove golos: 72. Nessa época, o Benfica foi campeão, com 86 golos em 30 jornadas.   Com a vitória, o Benfica passa a somar 55 pontos, o pior pecúlio dos encarnados em 23 jornadas desde 2010/11, o ano de ressaca do primeiro título nacional com Jesus. Nessa época, em que o campeão foi o FC Porto de Villas-Boas, o Benfica somava 52 pontos à 23ª jornada. Desde aí, tinha estes mesmos 55 em 2011/12 (FC Porto foi bicampeão), 61 em 2012/13 (FC Porto foi tricampeão), 58 em 2013/14 (campeonato para o Benfica) e 59 na época passada (a do bicampeonato).   Eliseu fez o seu 100º jogo na Liga, o 48º com a camisola do Benfica – sendo que os outros 52 foram ao serviço do Belenenses, equipa pela qual se estreou, lançado por Manuel José, a 1 de Junho de 2003. Viu o quinto cartão amarelo da presente Liga, o que teve como consequência que estará suspenso na partida que aí vem, frente ao U. Madeira, mas limpa o cadastro e poderá estar no jogo com o Sporting.
2016-02-21
LER MAIS

Artigo

- Renato Sanches fez o terceiro golo do Benfica na vitória sobre a Académica (3-0), tornando-se o primeiro jogador de 18 anos a marcar pelos encarnados desde que Manuel Fernandes o fez, em Março de 2004. Na altura, o médio que hoje representa o Lokomotiv Moscovo ajudou o Benfica a vencer fora o Gil Vicente, por 2-1, com 18 anos, um mês e dois dias.  Renato Sanches tem 18 anos, três meses e meio.   - Os dois primeiros golos do Benfica foram marcados por Jonas, de penalti. Não é uma situação assim tão invulgar. A última vez que os encarnados fizeram dois golos de grande penalidade num mesmo jogo foi a 11 de Fevereiro, na receção ao V. Setúbal, para a Taça da Liga, na qual o placar foi aberto com dois penaltis na ponta final da primeira parte. Nessa altura converteram-nos Talisca e Pizzi, tendo Jonas fechado o marcador final (3-0), já no segundo tempo.   - O último jogador do Benfica a marcar dois golos de penalti num jogo foi Cardozo, em 7 de Abril de 2014. O paraguaio bisou na segunda parte, num jogo de campeonato contra o Rio Ave, na Luz, que acabou com 4-0 para os da casa, depois de Rodrigo e Gaitán terem colocado o Benfica a ganhar por 2-0 ainda no primeiro tempo.   - Este foi o terceiro jogo do presente campeonato com mais de um penalti. Até aqui, Bruno Esteves tinha assinalado três no Académica-Sporting e Carlos Xistra marcara dois no Sp. Braga-Marítimo. No jogo de Coimbra, dois dos penaltis assinalados foram a favor dos leões, mas Adrien falhou um. NO de Braga, ambos favoreceram a equipa da casa, mas Rui Fonte falhou um deles. Foi, portanto, a primeira vez que uma equipa fez dois golos de penalti no mesmo jogo na presente Liga.   - Jonas passou a marca dos dez golos na época: tem neste momento onze. É a primeira vez desde que chegou à Europa, em 2011, que chega a este volume goleador antes do Natal.   - Júlio César manteve as redes do Benfica invioladas pela quarta partida seguida da Liga. Desde o golo de Bryan Ruiz, o último marcado pelo Sporting nos 3-0 com que os leões ganharam na Luz, a 25 de Outubro, o Benfica está há 369 minutos sem sofrer golos na Liga. É a melhor sequência desde Abril e Maio, quando os encarnados alinharam 482 minutos a zeros, entre um golo de Rafael Lopes, da Académica, e outro de Marega, do Marítimo.   - O Benfica igualou assim a performance defensiva das primeiras onze jornadas da época passada, com sete golos sofridos. E soma mais dois golos marcados: tem 27-7 contra os 25-7 de 2014/15.   - A Académica voltou a perder, oito jogos depois da última derrota. Ficou assim aquém dos dez jogos seguidos sem perder que alinhou entre Fevereiro e Abril, e que foram interrompidos precisamente no Estádio da Luz, contra o Benfica (1-5).   - Eliseu fez o 50º jogo com a camisola do Benfica. Destes 50, 36 foram na Liga portuguesa, oito na Liga dos Campeões, três na Taça da Liga, dois na Taça de Portugal e um na Supertaça. Marcou quatro golos, todos na época passada.
2015-12-05
LER MAIS

Stats

Depois de um começo de época complicado, com sete derrotas seguidas nas primeiras sete partidas oficiais, a Académica já alinhou mais sete jogos consecutivos sem perder. A equipa agora comandada por Filipe Gouveia vai com a maior série de invencibilidade desde o período entre Fevereiro e Abril. Na altura, entre Liga e Taça da Liga, a Académica alinhou dez jogos seguidos sem derrotas, vendo a série ser interrompida precisamente no Estádio da Luz, contra o Benfica, numa goleada de 5-1. É curioso que o árbitro desse jogo tenha sido o mesmo que vai apitar o de agora: o minhoto Luís Ferreira. A Académica, porém, também não tem ganho com regularidade. Na verdade, empatou os últimos cinco jogos que fez: 1-1 em Guimarães, em casa com o Moreirense e no Estoril, 0-0 no terreno do Trofense, para a Taça de Portugal, e 1-1 em casa com o Arouca. Somando as vitórias com a Sanjoanense (5-1, para a Taça) e o Marítimo (1-0, na Liga), chegamos aos tais sete jogos seguidos de invencibilidade. A tal invencibilidade que vai ser posta à prova por um Benfica que parece num bom momento, pois ganhou os últimos três jogos que fez para a Liga portuguesa, ainda por cima sem sofrer golos: 4-0 ao Tondela, 2-0 ao Boavista e 2-0 ao Sp. Braga. A última sequência de três vitórias seguidas dos encarnados na competição foi em Abril e também incluiu esses tais 5-1 à Académica, emparedados entre um 3-1 ao Nacional e um 2-0 ao Belenenses. A equipa de Rui Vitória vai agora à procura do quarto sucesso, algo que o Benfica não obtém desde Fevereiro e Março.   - Eliseu pode fazer o 50º jogo com a camisola do Benfica. Conta neste momento 49 (35 na Liga, 8 na Liga dos Campeões, 3 na Taça da Liga, 2 na Taça de Portugal e um na Supertaça) jogos e 4 golos, todos marcados na época passada.   - O guarda-redes Lee e o defesa Oualembo fizeram a estreia na Liga portuguesa a jogar contra o Benfica, há um ano. Foram ambos lançados como titulares pela primeira vez por Paulo Sérgio no jogo Académica-Benfica, em Coimbra, que os encarnados venceram por 2-0, a 30 de Novembro do ano passado.   - Desde o golo de Ruiz, nos 3-0 com que o Sporting ganhou na Luz, a 25 de Outubro, Júlio César esteve 279 minutos sem sofrer golos na Liga. É a melhor sequência da época e a melhor desde Abril e Maio, quando os encarnados alinharam 482 minutos a zeros, entre o golo de Rafael Lopes, da Académica, e o de Marega, do Marítimo.   - Rui Vitória e Filipe Gouveia nunca se defrontaram como treinadores, dada a curta experiência do técnico da Académica ao mais alto nível. Além disso, Gouveia também nunca defrontou o Benfica como treinador. Por sua vez, Rui Vitória não perde com a Académica desde Maio de 2012 (1-2, em Guimarães), tendo alinhado desde então cinco vitórias e um empate. Nos últimos dois jogos, aplicou mesmo chapa 4: 4-2 em Coimbra e 4-0 em Guimarães na época passada.   - O Benfica ganhou as cinco últimas receções à Académica, mas em três delas sofreu golos: 5-1 na época passada, 3-2 na Taça da Liga de 2012/13 e 4-1 na Liga de 2011/12. Lima fez golos em quatro desses jogos, todos aqueles nos quais participou.   - A última vez que a Académica levou pontos da Luz para casa foi em Agosto de 2010, na ressaca do primeiro título do Benfica de Jesus. Ganhou por 2-1, com golos de Miguel Fidalgo e Laionel, a responder a um tento de Jara pelos encarnados. Não resta em Coimbra nenhum dos 18 convocados de Jorge Costa para essa partida, o mesmo sucedendo na Luz com os homens que Jorge Jesus levou para o campo.   - Académica e Benfica cometeram exatamente o mesmo número de faltas na Liga: 163. A diferença é que os encarnados as fizeram em menos um jogo, pois têm em atraso o desafio com o U. Madeira.   - O Benfica ganhou os dois jogos que fez na Liga com o árbitro Luís Ferreira: 3-1 ao Moreirense e 5-1 à Académica, ambos na época passada. Por seu turno, a Académica ainda não conseguiu ganhar com ele aos comandos. Mas empatou quatro dos seis jogos nessas condições, só perdendo na Luz e, já esta época, na Choupana com o Nacional.
2015-12-03
LER MAIS