Stats 

Benfica FC Porto

Liga Portuguesa

2016-02-12 20:30

BTV 1
FC Porto tão longe do Benfica na Luz só há 22 anos
2016-02-11

Há 22 anos que o FC Porto não ia jogar à Luz a uma tão grande distância do rival. Os dragões de José Peseiro deslocam-se a Lisboa para se manterem vivos na luta pelo título, o que pressupõe uma vitória ou pelo menos um empate e uma grande dose de fé, pois estão a seis pontos do Benfica na tabela. A última vez que entraram na Luz tão longe do rival foi em Fevereiro de 1994, quando a equipa que há pouco tempo era liderada por um treinador que tinha passado com ligações ao Sporting – Bobby Robson – chegou à Luz, em partida da 18ª jornada do campeonato, e deitou tudo a perder com uma derrota por 2-0. Foi o famoso jogo da expulsão de Fernando Couto, por agressão a Mozer, que levou Robson no final a criticar duramente o central, dizendo: “Benfica 2, Couto 0”. No fim da época, o Benfica foi campeão, não sem antes ganhar o dérbi de Alvalade ao Sporting, com o fim de tarde mágico de João Pinto a refletir-se nos 6-3 finais.

Nesse Fevereiro de 1994, à entrada para o clássico entre Benfica e FC Porto, os encarnados somavam 28 pontos e os portistas tinham 24. A vitória, no entanto, ainda valia apenas dois pontos, pelo que convertendo as pontuações para a realidade atual veríamos o Benfica com 40 pontos e o FC Porto com 33. Ao contrário de José Peseiro, Bobby Robson fazia naquela noite a estreia como treinador do FC Porto no campeonato, embora já tivesse liderado a equipa numa vitória frente ao Salgueiros na Taça de Portugal. A vitória do Benfica por 2-0, com golos de Ailton (aos 37’) e Rui Costa (aos 55’), distanciou ainda mais os encarnados dos azuis e brancos. O Benfica de Toni seguia nessa altura com três pontos de vantagem sobre o Sporting, que era segundo colocado. Haveria de deixar essa vantagem esfumar-se, mas conseguiu ser campeão graças aos 6-3 no dérbi de Lisboa. Com uma boa ponta final, associada à descrença do Sporting após ser goleado no dérbi, o FC Porto ainda foi segundo classificado, a dois pontos do Benfica – ainda que pelas atuais regras de pontuação essa desvantagem passasse para quatro pontos.

Depois desse clássico de Fevereiro de 1994, o FC Porto voltou à Luz para mais 21 jogos a contar para a Liga, mas em nenhum entrou tão atrás do rival. Aliás, em 16 desses 21 jogos entrou mesmo em campo na frente do Benfica, e em alguns casos com vantagem confortabilíssima: 16 pontos em 1995/96, 13 em 2010/11 ou 12 em 1997/98, por exemplo. A maior vantagem que o Benfica teve desde então por ocasião do clássico jogado em sua casa foram os quatro pontos da louca época de 2004/05: os encarnados perderam o jogo, por 1-0, vendo a vantagem diminuir, mas acabaram na mesma por ser campeões no final da época, ultrapassando o Sporting na penúltima jornada, com um golo de Luisão no dérbi (1-0).

 

- Rui Vitória e José Peseiro chegaram a defrontar-se em campo, quando ambos eram jogadores de III Divisão, mas como treinadores só estiveram frente a frente quatro vezes, em 2012/13, com Vitória no V. Guimarães e Peseiro no Sp. Braga. Peseiro levou a melhor nos dois jogos da Liga (2-0 em Guimarães e 3-2 em Braga), empatou no reduto do adversário (0-0) a caminho da vitória bracarense na Taça da Liga e perdeu (após prolongamento) em Guimarães (2-1), na Taça de Portugal, que acabou por sorrir no final aos vimaranenses.

 

- Rui Vitória nunca ganhou ao FC Porto, ainda que tenha sido à conta de uma eliminação da equipa portista que o seu nome saltou para a ribalta do futebol português. Foi a 26 de Setembro de 2007, quando o seu Fátima eliminou os dragões da Taça da Liga, com um empate a zero que foi depois transformado em sucesso no desempate por grandes penalidades. Ao todo, em 13 jogos contra os dragões, perdeu nove e empatou quatro.

 

- Em contrapartida, José Peseiro tem um saldo equilibrado com o Benfica, pois ganhou três e perdeu três dos nove jogos que fez com os encarnados. As vitórias, porém, foram sempre obtidas em casa: 1-0 com o Nacional em 2002/03, 2-1 com o Sporting em 2004/05 e 2005/06. Na Luz, o melhor que conseguiu foram dois empates em quatro jogos, tendo um deles redundado na eliminação do seu Sporting da Taça de Portugal nas grandes penalidades. As mesmas grandes penalidades que, quando estava no Sp. Braga, lhe permitiram transformar um empate em passagem à final da Taça da Liga.

 

- Mitroglou marcou golos nas últimas cinco jornadas do campeonato, pois esteve entre os goleadores benfiquistas nas vitórias contra o Nacional (4-1), Estoril (2-1), Arouca (3-1), Moreirense (4-1) e Belenenses (5-0). Já igualou a melhor série de jogos a marcar esta época, que era pertença do sportinguista Slimani, também com cinco jornadas seguidas entre os goleadores. Mas se marcar ao FC Porto torna-se o primeiro a marcar em seis rondas consecutivas. No Benfica, ninguém marca golos em mais de cinco jornadas seguidas desde que Cardozo esteve entre os goleadores durante sete partidas de enfiada, entre Dezembro de 2011 e Fevereiro de 2012.

 

- O Benfica vem numa série de onze vitórias seguidas, contabilizando todas as competições. Os encarnados ganharam todos os desafios desde o empate a zero com o U. Madeira, a 15 de Dezembro. É a melhor série de resultados sucessivos do Benfica desde que obteve 18 vitórias seguidas, em 2010/11.

 

- Se contabilizarmos apenas os jogos da Liga, então o Benfica traz oito vitórias seguidas, ainda a uma da melhor série da época passada, que foram os nove sucessos seguidos entre a derrota em Braga (1-2, na oitava jornada, a 26 de Outubro) e a derrota em Paços de Ferreira (0-1, na 18ª ronda, a 26 de Fevereiro). Ao mesmo tempo, o Benfica não perde na Liga desde 25 de Outubro, quando foi batido pelo Sporting (0-3, na oitava jornada). São 14 jornadas sem derrota, a série mais longa desde as 28 partidas sem ser batido entre a primeira e a última ronda de 2013/14.

 

- O FC Porto, por sua vez, vem numa série particularmente negativa, pois perdeu quatro dos últimos sete jogos (V. Guimarães, Famalicão, Feirense e Arouca). Não se coloca sequer aquela teoria segundo a qual é raro os dragões perderem duas vezes seguidas, porque só esta época isso já lhes aconteceu duas vezes: em Dezembro e Janeiro foi o 1-3 com o Marítimo para a Taça da Liga e o 0-2 com o Sporting para o campeonato; mais tarde, em Janeiro, duas vezes 0-1, com o V. Guimarães na Liga e o Famalicão na Taça da Liga.

 

- Raro, no entanto, será ver o FC Porto perder duas jornadas seguidas na Liga. Tal não lhe acontece desde Outubro e Novembro de 2008, quando a equipa de Jesualdo Ferreira perdeu em casa com o Leixões (3-2) e fora com a Naval (1-0).

 

- O Benfica não fez golos ao FC Porto nos dois últimos confrontos entre as duas equipas: a derrota por 1-0 no Dragão, na primeira volta do atual campeonato, e o empate sem golos na Luz com que assegurou que mantinha o adversário a três pontos de distância, na ponta final da época passada. Os últimos golos benfiquistas ao FC Porto foram de Lima, no Dragão, em Dezembro de 2014, a valer uma vitória encarnada por 2-0.

 

- Em contrapartida, o FC Porto não marca na Luz para o campeonato desde Janeiro de 2013, quando ali foi empatar a duas bolas e se manteve com os mesmos pontos do adversário na frente da Liga. Mangala e Jackson Martínez foram os autores dos golos portistas nessa noite, tendo Matic e Gaitán marcado para o Benfica. Depois disso, o FC Poto já ali perdeu por 2-0 (2013/14) e empatou a zero (2014/15).

 

- O Benfica não ganha um clássico a nenhum dos outros grandes desde esse jogo em Dezembro de 2014 que venceu no Dragão por 2-0. Depois disso, ainda em 2014/15, empatou a uma bola com o Sporting em Alvalade e a zeros com o FC Porto na Luz. Já esta época, perdeu três vezes com o Sporting (1-0 na Supertaça, 3-0 na Liga e 2-1 na Taça de Portugal) e uma com o FC Porto (1-0 no Dragão).