Último Passe 

2015-10-31
Um golo cedo como segredo para a compatibilidade

Foi fácil, muito fácil, a vitória do Benfica frente ao Tondela, em Aveiro, por 4-0, permitindo a Rui Vitória lançar mais dois miúdos na equipa principal num ambiente de total harmonia que lhes facilita a integração. Num caso como este haverá sempre quem se dedique a encontrar aquilo que os jogadores de Rui Bento fizeram mal, mas a pista para perceber melhor o que se passou é ir por aquilo que o Benfica faz bem. Que, de resto, é aquilo que tem feito sempre bem desde o início da época: a ganhar desde cedo, este Benfica consegue geralmente compatibilizar as ideis de Rui Vitória com o sistema de Jorge Jesus.
A chave para entender este Benfica é a altura em que se chega à frente no marcador. Quando o consegue cedo e contra uma equipa mais fraca não é difícil de antever o que vai acontecer a seguir: ganha com facilidade. Este Benfica fica forte sempre que lhe dão espaço no meio-campo ofensivo, que consegue ligar o futebol de Jonas ao de Gaitán, que força o adversário a subir linhas por se ver a perder e a dar espaço nas costas para as investidas de atacantes rápidos, como o é Gonçalo Guedes. E, ao contrário, sofre quando ainda não está em vantagem, quando tem de acelerar a primeira fase de construção e erra nas saídas de bola, quase sempre feitas por fora e sem os devidos apoios, expondo-se a momentos de transição defensiva que são o seu maior ponto fraco.
A ganhar desde os 4 minutos, com o 2-0 a chegar pouco depois e o 3-0 antes do intervalo, o Benfica viu-se como mais gosta e provou mais uma vez aquilo que está à vista de todos. Que oque lhe tem corrido mal não tem a ver com falta de qualidade do plantel ou do treinador mas é, isso sim, fruto de um erro de apreciação. É fruto da aplicação do modelo de jogo de que gosta Rui Vitória (a tais saídas por fora, a obsessão pela largura) ao sistema preferido de Jorge Jesus, um sistema em função do qual foi construído o plantel. Podem até ser duas boas ideias, mas para resultarem as duas juntas precisam de um empurãozinho que é o tal golo madrugador.