Último Passe 

2015-10-23
Pleno invulgar ajuda a sonhar com tripla

É tão raro Portugal obter três vitórias no mesmo dia de futebol europeu que esse será sempre um facto digno de realce. Ainda por cima numa época em que a quinta posição nacional no ranking da UEFA volta a ser posta em causa por franceses e russos e em que o mundo parecia estar ao contrário, com os nossos clubes a portarem-se melhor na Liga dos Campeões do que na Liga Europa. A partir de agora, com o Sp. Braga praticamente apurado, o Sporting também volta a ter o destino nas mãos e até o Belenenses pode acreditar no futuro. A tripla de apuramentos é possível.

O Sporting fez tudo o que queria no jogo com o Skenderbeu. Primeiro, ganhou de forma clara, chegando mesmo à terceira goleada consecutiva (5-1, depois dos 4-0 ao Vilafranquense e dos 5-1 ao V. Guimarães). Depois, Jorge Jesus pôde nivelar o plantel em termos de utilização, poupando os jogadores preponderantes para o dérbi de domingo e dando minutos e rotinas a quem delas necessitava: e pela lentidão com que o Sporting jogou na primeira parte parece que ainda continua a precisar. Por fim, colocou-se a apenas um ponto do Besiktas – que ainda terá de jogar em Alvalade – e fê-lo garantindo que alguns jogadores saíssem do relvado com um reforço de confiança. Foi o caso de Matheus, autor de mais dois golos, que mostrou que está acima de qualquer outro projeto de jogador no ataque leonino no aspeto fundamental que é a tomada de decisão.

Mais épicas foram, claramente, as vitórias de Sp. Braga e Belenenses. Os minhotos chegaram a 2-0 frente ao Ol. Marselha, pareciam ter a noite colorida por golos como o belo chapéu de Hassan, mas quase foram traídos pela dimensão emocional que deixaram que o jogo adquirisse, com toda a gente a querer dedicar o sucesso ao goleador egípcio, que tinha perdido o pai na véspera. Um par de minutos de desconcentração quase custava dois pontos à equipa de Paulo Fonseca, que se salvou graças à alma de Alan e à capacidade de renovação que vai sempre mostrando no ataque, setor onde tem opções ao nível de um grande. Com nove pontos feitos, só uma catástrofe poderia retirar o Sp. Braga da fase seguinte. Uma fase à qual até o Belenenses pode agora sonhar aceder: a vitória em Basileia deixa os azuis a dependerem sobretudo do que forem capazes de fazer no Restelo, onde ainda recebem os suíços e os polacos do Lech Poznan. É verdade que em seis jogos deste grupo já houve quatro vitórias fora e apenas uma em casa mas, até porque a Fiorentina precisa de pedalar muito e ganhar fora para se chegar à frente, se voltar a vencer daqui a quinze dias, a equipa de Sá Pinto poderá ajudar a um pleno incomum de apuramentos nacionais na Liga Europa. O ranking agradeceria.