Último Passe 

2015-09-23
A vantagem de Quaresma está na cabeça

A paisagem virtual foi ontem agitada pela iniciativa de alguns adeptos do Atlético Paranaense, que colocaram o ex-avançado portista Delatorre à venda no E-Bay por um real, isto é, por um punhado de cêntimos. Teve graça, até pode ter ofendido, mas a lei do futebol é essa: um jogador é querido hoje e indesejado amanhã. Foi isso que percebeu Quaresma e que o levou a trocar o FC Porto pelo Besiktas.

Que Lopetegui não gostava do que lhe dava Quaresma ficou bem à vista logo nos primeiros jogos da época passada. Que, não havendo ordens superiores, os adeptos organizados não levariam mais longe a admiração que tinham pelo extremo português era uma evidência que o jogador não ignorava. Viesse a ordem de cima e não faltaria muito para que também o pusessem à venda no E-Bay... Daí que a única opção para Quaresma, que queria estar no Europeu, fosse a saída. 
Foi isso que Quaresma explicou na entrevista que concedeu à TSF. Uma entrevista que deixa bem evidente que o extremo que em tempos era visto como um jogador talentoso e estouvado é hoje dos poucos que pensa pela sua própria cabeça num panorama gradualmente mais acéfalo como é o do futebol. Um dos poucos a falar com desassombro de tudo o que tem a ver com aquilo que faz na vida, seja o abraço dado ao treinador adversário ou a relação com quem manda no seu próprio balneário. E só por isso - se outras razões faltassem - já justificava um lugar nos eleitos de Fernando Santos para o Europeu de França.