Último Passe 

Crédito: Facebook Benfica
2018-11-12
Benfica e Sporting animam luta a quatro no topo

Com mais ou menos dificuldades circunstanciais, Benfica e Sporting venceram com justiça os seus jogos da 10ª jornada e mantiveram-se a uma distância interessante do FC Porto, numa Liga que está a ser a mais renhida dos últimos anos. Os quatro primeiros estão separados por apenas quatro pontos e para se encontrar distância mais curta nesta fase da Liga é preciso recuar a 2011. E como até aqui, além da predisposição dos grandes para perderem pontos em jogos com equipas de “outro campeonato”, tem prevalecido o fator casa, vale a pena equacionar um final de primeira volta ainda mais equilibrado, pois daqui até lá há apenas mais dois jogos entre candidatos: o Benfica-SC Braga do Natal e o Sporting-FC Porto de Janeiro.

Em Tondela, o Benfica fez valer a superioridade frente a um adversário que vendeu cara a derrota e podia mesmo ter saído do relvado com outro resultado. É verdade que, mesmo com Jonas em campo – três jogos, três golos – os encarnados tiveram mais oportunidades de golo e que nem se deve aqui falar de um triunfo da eficácia, mas enquanto Rafa foi dando o seu recital de movimentos de rotura seguidos de finalizações desastradas, também o CD Tondela teve um par de ocasiões flagrantes para voltar à frente no marcador. O jogo foi a prova de que a sorte e o azar não são fatores relevantes na distribuição dos pontos: quando Xavier falhou um golo cantado na cara de Vlachodimos não foi porque teve azar, mas sim porque não teve arte para fazer melhor.

Mais perto de perder pontos esteve o Sporting, que fez um jogo dominador mas insuficiente na globalidade. Durante 82 minutos, nos quais Bas Dost – outra ode à eficácia… e não porque tenha sorte – fez o golo que adiantou os leões, o GD Chaves nem chegou à baliza de Renan. Pelo meio, os leões podiam (e deviam) ter forçado o andamento para chegar ao segundo golo, mas foram-se acomodando até levarem com o golo do empate de Niltinho, já com pouco tempo de reação. Um penalti de Bas Dost salvou os pontos, mas o jogo já terá dado boas indicações a Marcel Keizer, o novo treinador, que esteve nas bancadas: esta equipa do Sporting precisa de muita adrenalina, de ritmo, de intensidade, fator em que está uns bons furos abaixo dos três rivais na luta pelo título.

Apesar de tudo, das inseguranças do Benfica e da moleza do Sporting, os dois estão lá, na luta. Podemos olhar para os plantéis e dizer que este tem mais qualidade em quantidade do que aquele, mas no futebol há imponderáveis que levam a que nem sempre isso chegue. O FC Porto acredita, em cima do título anterior e da liderança isolada que conquistou pela primeira vez esta época. O SC Braga está moralizado e focado no campeonato – e tem plantel para se bater com os grandes. O Benfica acreditará que a má fase já passou e o Sporting acredita na poção mágica que é o novo treinador. Vamos ter campeonato.