Último Passe 

2016-10-18
Markovic e Campbell e o direito à diferença

Lazar Markovic e Joel Campbell, emprestados pelo Liverpool e pelo Arsenal, foram apresentados em Alvalade como duas armas fortíssimas no ataque do Sporting ao título e a uma boa Liga dos Campeões. Passaram-se entretanto dois meses de competição e ainda não se viu maneira de isso acontecer. Não são maus jogadores - se fossem não teriam chegado onde chegaram - mas movem-se sempre ao contrário do que pede o futebol de Jesus. E têm sido mais as vezes em que se tornam empecilho do que aquelas em que contribuem ativamente para os sucessos do coletivo.

Já sei que vão dizer-me que Markovic até marcou em Guimarães, num jogo que se o Sporting o não ganhou não foi seguramente por culpa dele. E que lhe pertenceu o golo da vitória frente ao Famalicão, na Taça de Porugal. Até acrescento: mais golos marcará, porque é um jogador explosivo, veloz com bola e capaz de ir buscar a profundidade nas costas das defesas adversárias. E se Jesus quis recuperá-lo e juntar-lhe Campbell, que com ele partilha várias dessas características, é porque quer ter um Plano B ao seu futebol habitual. Quer certamente encontrar diversidade, uma forma de contornar obstáculos moldados à sua forma de jogar. Mas duvido muito que um ou outro possam tornar-se ponto de partida no jogo desta equipa.

Qual é a marca dominante do jogo ofensivo de Jesus? São as triangulações, os movimentos da ala para o meio, as entradas no espaço entre o central e o lateral, a rapidez no passe para tirar a bola das zonas de pressão. Tudo aquilo que faz Gelson, por exemplo, e que lhe permitiu crescer tanto de um ano para o outro. E exatamente o contrário do que fazem Markovic e Campbell, do que fizeram ainda no jogo com o Borussia Dortmund, no qual insistiram em soluções individuais, sempre de cabeça em baixo e sem ver o resto da equipa, perdendo por isso inúmeras bolas e comprometendo o esforço ofensivo da equipa.

O Sporting não perdeu por causa deles, mas para ganhar com eles terá formatá-los à forma de jogar deste grupo. Porque a continuarem assim serão sempre um corpo estranho