Último Passe 

2016-09-01
Noite de consagração mascarada de treino

Fernando Santos aproveitou o jogo de consagração da seleção nacional após a vitória no Europeu para fazer um treino ofensivo a que a goleada a Gibraltar (5-0) não faz justiça. Logo à partida porque os cinco golos ficam muito aquém da produção atacante da equipa nacional, que deixou pelo menos mais uns três golos cantados por marcar. E depois porque a equipa de Gibraltar se revelou tão incapaz de pôr o campeão europeu à prova, mal entrando até no meio-campo de Portugal, que o jogo não podia correr de outra forma.

Mesmo assim, e mesmo tendo em conta que o jogo de terça-feira, com a Suíça, em Basileia, não terá nada a ver com este, Santos diz que tirou do que viu no relvado do Bessa algumas conclusões. Sem Cristiano Ronaldo, o selecionador abdicou do 4x4x2, indo a jogo com o 4x3x3 mais tradicional da seleção nacional, mas no final do jogo afirmou que a segunda parte, no regresso ao 4x4x2, mostrou maior diversidade de opções atacantes. É verdade que sim, mas não foi a isso que se deveu o facto de Portugal ter feito quatro dos seus cinco golos no segundo tempo. Isso teve mais a ver com o cansaço dos adversários ou a maior qualidade dos serviços feitos por Bernardo Silva face à noite mais desinspirada de Quaresma ou ainda com uma maior presença de médios na área - e aí sim pode haver alguma influência de movimentos mais bem construídos.
A verdade é que o jogo de Basileia vai ser lançado em bases diferentes. Em vez de ser sujeito ao desconforto de jogar sempre dentro da área, onde se notam mais as suas dificuldades nas finalizações ao primeiro toque e sem espaço, Éder vai ter mais bolas para surgir embalado ou para ganhar num corpo-a-corpo como o que lhe deu o golo na final do Europeu. Nani, autor dos dois primeiros golos de Portugal - a passes de Bruno Alves e Bernardo Silva - estará na mesma como peixe na água, dependendo o sistema que a equipa adotará da escolha entre o jogo de linha e Quaresma ou um jogo mais interior de Bernardo. Com tudo certo a meio-campo (Moutinho está melhor que no Europeu e William em bom momento), as maiores dúvidas para terça feira estarão na posição de lateral direito, onde Cancelo marcou a estreia com um golo (o terceiro) e se chegou à frente. O problema é a propensão ofensiva do lateral direito do Valencia, adequada para a equipa de Gibraltar mas arriscada quando o adversário é a Suíça.