Último Passe 

2015-08-25
UEFA olha para trás e para a frente ao mesmo tempo

A UEFA continua a ser uma organização desconcertante. Por um lado pisca o olho à modernidade e a uma autêntica Liga europeia, ao alargar as vagas espanholas na fase de grupos da Liga dos Campeões para cinco, com a inclusão do FC Sevilha, na qualidade de vencedor da Liga Europa. Por outro, olha para trás, para a antiga Taça dos Campeões Europeus, enchendo o pote de cabeças de série com o atual campeão da Europa e os campeões nacionais dos sete países mais bem colocados no ranking após a Espanha.
Vai haver quem queira vender esta medida como um passo no sentido da democratização do sorteio de quinta-feira, mas isso é uma falácia. Basta olhar para o Pote 2 em construção. Nele, além do FC Porto, perspectiva-se a presença de Real Madrid, Atlético Madrid, Valencia, Arsenal, Manchester City, Manchester United e Leverkusen. Um lote de pesadelo para Benfica (que será cabeça de série) e Sporting (que se conseguir apurar-se cairá no Pote 3). 
Quando entre os cabeças de série há equipas do calibre do Zenit ou do PSV Eindhoven, já se vê que bom mesmo para este sorteio é não ter sido campeão nacional: dá mais hipóteses de se apanhar um grupo fácil.