Foi a 10 de Junho de 1968 que a Itália inventou a rotatividade. Valcareggi trocou cinco titulares da final para a finalíssima e os italianos ganharam o Europeu.
2016-06-10

1 de 1
1968

Foi a 10 de Junho de 1968 que nasceu a rotatividade. Criador do conceito? Ferrucio Valcareggi, o selecionador da Itália que, em Roma, mudou cinco titulares no onze que tinha estado à beira da derrota contra a Jugoslávia dois dias antes, na final da prova. Nessa altura ainda não se decidiam competições por grandes penalidades, jogou-se uma finalíssima e, com o regressado Gigi Riva em grande destaque, os italianos derrotaram claramente uma equipa jugoslava demasiado fatigada para ripostar.

Valcareggi, que tinha sido salvo por um golo de Domenghini, a nove minutos do fim, na final, chamou ao onze o defesa central Salvadore, para o lugar de Castano, fez entrar Rosato e De Sisti para o meio-campo e Mazzola e Riva para fazerem companhia a Anastasi na frente. Encorajada por um onze mais ofensivo, e sobretudo com mais pernas frescas que a Jugoslávia – que também jogara 120 minutos dois dias antes e onde o treinador fez apenas uma alteração – a Itália chegou aos 2-0 ainda na primeira parte (transmissão integral aqui: https://www.youtube.com/watch?v=1RMx4cgoMKU). Marcaram os golos Riva, que recuperara recentemente de uma perna partida e ainda não tinha jogado na fase final, e Anastasi. Na segunda parte (que também pode ver aqui: https://www.youtube.com/watch?v=RreANKM1wh8), com Dzajic sempre controlado por Burgnich, os jugoslavos nunca se mostraram sequer capazes de ameaçar a baliza de Dino Zoff, permitindo a euforia em Roma, onde se jogava aquela final.

 

Também neste dia.

Em 1996 – Tal como hoje, que se vão enfrentar no jogo de abertura, há 20 anos França e Roménia também jogaram entre si na fase final de um Europeu. Ganharam os franceses por 1-0, com um golo de Dugarry, no seguimento de um cruzamento de Djorkaeff que o guardião Stelea não foi capaz de intercetar, pois chocou com o seu colega Mihali. O selecionador romeno naquele dia era, tal como hoje, Anghel Iordanescu, enquanto que Didier Deschamps, que hoje comanda a França no banco, na altura jogou e foi capitão de equipa.

 

Em 2008 – Arrancava a grande Espanha. Com um hat-trick de David Villa, os espanhóis ganharam por 4-1 à Rússia no seu primeiro jogo do Euro’2008. Acabariam por se sagrar campeões, vencendo mais quatro partidas e empatando apenas uma, nos quartos-de-final, com a Itália.