Artigo 

2017-05-23
A Liga em números (4): os reis dos livres

Bressan, do Chaves, e Iuri Medeiros, do Boavista, foram os jogadores que mais golos fizeram na conversão de livres diretos nesta Liga: três cada um. Mas as suas equipas não foram, ainda assim, as que melhor aproveitaram estas bolas. Quem mais golos marcou em livres diretos foram o Paços de Ferreira e o Tondela, com a particularidade de os beirões terem obtido os seus quatro golos de livre através de quatro marcadores diferentes. No polo oposto está o Marítimo, que encaixou quatro golos de livre direto nesta Liga.

Primeiro, os especialistas. O pé esquerdo de Iuri Medeiros foi três vezes certeiro, e duas delas no mesmo jogo – frente ao Marítimo obteve dois golos de livre, o primeiro na convergência da meia-lua com a linha de área, sobre a direita do ataque, e o segundo perto do bico da área, do mesmo lado. Antes disso, Iuri já tinha marcado de livre ao Benfica, igualmente sobre a direita, mas um pouco mais atrás. Por sua vez, o pé direito de Bressan nem precisou de tantos jogos para marcar os seus três golos de livre direto. O bielorrusso de origem brasileira jogou apenas 15 vezes pelo Chaves – contra as 27 em que Iuri representou o Boavista – e os seus golos parecem o outro lado do espelho dos do boavisteiro: marcou a Feirense, V. Guimarães e Estoril sempre do lado esquerdo, entre o bico da área e a convergência entre a meia-lua e a linha de grande área.

Curioso é que nem com este “avanço” o Boavista e o Chaves tenham conseguido ser as equipas mais goleadoras neste particular. Ambas se ficaram pelos três golos de livre, menos um do que os obtidos por Paços de Ferreira (dois de Welthon, um de Andrezinho e um de Pedrinho) e Tondela (Candé, Lystsov, Pité e Pedro Nuno marcaram os golos, este último da vitória em Arouca que acabou por revelar-se decisiva para a permanência). Cinco equipas não fizeram um único golo de livre direto na Liga – foram elas V. Setúbal, Belenenses, Moreirense, Arouca e Nacional. O Belenenses até marcou dois, mas ambos na Taça da Liga.

Do outro lado, o bom, foram também cinco as equipas que nunca foram batidas de livre direto na Liga: FC Porto, Rio Ave, Paços de Ferreira, Belenenses e Tondela. Os mais castigados neste particular acabaram por ser Marítimo (quatro golos sofridos), Sporting, Arouca, Feirense e Boavista (todos com três). O guardião brasileiro Charles, que jogou apenas por pouco mais de meia época na baliza dos insulares, tem aqui muito com que se entreter durante as férias, pois este é um ponto em que precisa mesmo de melhorar.