Artigo 

2017-05-22
A Liga em números (1): Os golos desaparecidos

Já deve ter reparado que a Liga portuguesa perdeu golos em relação ao ano anterior. Foram 103 a menos, caramba! Mais de três por jornada, em média. Se não reparou é porque anda mesmo desatento. E o que é preocupante não é apenas isso. É que esta é uma redução em contra-ciclo com aquilo que é a realidade das Ligas de topo da Europa e até com aquilo que vinha sendo a história da própria Liga portuguesa, que estava a ver o total de golos crescer desde 2014, que foi a última vez que tínhamos descido tão baixo.

As 34 jornadas da Liga portuguesa resultaram em 728 golos, a uma média de 2,38 golos por jogo. São menos 103 se compararmos com os 831 golos marcados na época passada, que nessa altura valeram uma média de 2,72 golos por jogo, a melhor desde os 2,78 de 2012/13. O primeiro ano do tetra do Benfica marcou uma acentuada quebra, para 2,37 golos por jogo, mas desde então tinha sido sempre a subir: os 2,49 de 2014/15 e os 2,72 da época passada tinham deixado a Liga portuguesa em linha com as maiores da Europa. Há um ano, aliás, entre as grandes, a Liga portuguesa só era batida pela Bundesliga, que fechara a competição com uma média de 2,83 golos por jogo.

A questão é que enquanto a Liga portuguesa voltou a baixar para números próprios da primeira década deste século – a prova andava estagnada por ali desde meados dos anos 80 do século passado – todas as Big Five cresceram na frequência com que se festeja a festa do golo. A Liga espanhola assumiu a dianteira, com 2,94 golos por jogo, seguida da Série A italiana, com 2,92 (a uma jornada do fim), da Bundesliga alemã, com 2,87, e da Premier League inglesa, com 2,80. Mais perto da nossa realidade só a Ligue 1 francesa, que encerrou a contabilidade nos 2,62 golos por jogo.

E a culpa desta descida em contra-ciclo não pode ser dos treinadores portugueses, porque o campeão francês, o Monaco de Leonardo Jardim, foi uma das raras equipas europeias de topo a marcar mais de 100 golos no campeonato. À frente dos 107 golos monegascos (2,81 por jogo) só aparecem os 116 do Barcelona (3,05 por jogo). O Benfica, que passou a marca dos 100 golos (em todas as competições) pela sétima temporada consecutiva – e de resto foi a única equipa da I Liga portuguesa a conseguir fazê-lo esta época – teve o melhor ataque da Liga, mas ficou-se pelos 72 golos, que correspondem a 2,11 por jogo.