Artigo 

2016-06-21
Bélgica, Suécia, Inglaterra ou Croácia são as possibilidades

Os resultados de hoje nos Grupos C e D ajudaram bastante a definir o que vai passar-se com Portugal no último jogo do seu grupo, contra a Hungria. Na verdade, além de definirem o apuramento de Alemanha, Polónia (primeiro e segundo do Grupo C), Croácia e Espanha (primeiro e segundo do Grupo D), e de situarem a Irlanda do Norte e a Turquia como terceiros desses dois grupos, os jogos de hoje apuraram ainda a Eslováquia e a Irlanda Norte, que já sabem que não serão um dos dois piores terceiros. À entrada para o último dia da primeira fase, também a Hungria já sabe que mesmo perdendo com Portugal estará sempre apurada, enquanto que os portugueses e os islandeses ficaram a saber que um empate no último dia lhes garante também a passagem aos oitavos-de-final da competição.

Assim sendo, já estão apuradas para os oitavos-de-final as seguintes equipas: França, Suíça, Gales, Inglaterra, Eslováquia, Alemanha, Polónia, Irlanda do Norte, Croácia, Espanha, Itália e Hungria. Falta definir quatro vagas, uma em cada grupo de amanhã, mais as de dois dos quatro melhores terceiros colocados. No que toca a Portugal, já se sabia desde o final da tarde que um empate com golos – sem ver mais de dois amarelos – garantia um dos quatro melhores terceiros classificados. Depois da jornada da noite, o crivo alargou: quando entrar em campo, amanhã, Portugal sabe que qualquer empate lhe garante os oitavos-de-final e sem ter de defrontar a Espanha nem a Alemanha. Se empatar, Portugal faz três pontos com diferença de golos neutra, o que já se sabe será sempre melhor que o score dos terceiros classificados dos grupos A (a Albânia, com três pontos e dois golos negativos) e D (a Turquia, com três pontos e igualmente dois golos negativos).

O panorama que se desenha à frente da seleção de Fernando Santos é simples: se perder, é eliminada; se empatar e no outro jogo a Islândia ganhar, perder ou empatar também, mas marcando pelo menos tantos golos como os portugueses, qualifica-se como um dos melhores terceiros e joga no sábado, com a Croácia, em Lens; se empatar, mas no Áustria-Islândia se verificar um empate com menos golos, Portugal fica em segundo e joga na segunda-feira, em Nice, com a Inglaterra; por fim, se ganhar e a Islândia não ganhar à Áustria, joga no domingo em Toulouse, com o segundo classificado do Grupo E, que se calcula possa ser a Bélgica. O que já se sabe é que, suceda o que suceder no apuramento dos terceiros classificados, se torna impossível que a seleção nacional venha a enfrentar a Alemanha no domingo em Lille. Isso só aconteceria em cenários nos quais o terceiro do Grupo A (Albânia, com três pontos e diferença de golos negativa) se qualificasse, não estando o terceiro do Grupo B (Eslováquia, com quatro pontos) ou o terceiro do Grupo C (Irlanda do Norte, com três pontos e diferença de golos neutra). E tanto eslovacos como irlandeses estão já qualificados.

É que a UEFA desenhou um esquema complicado para assegurar que as equipas não defrontam adversários do mesmo grupo antes das meias-finais e, ainda que só mesmo quando se souber quem são os quatro melhores terceiros classificados se possa definir os emparelhamentos finais, nove das 15 hipóteses possíveis de início já estão afastadas. Assim sendo, já é possível estabelecer quais serão alguns dos jogos dos oitavos-de-final. No sábado joga-se um Suíça-Polónia, Gales defrontará a Turquia, a Albânia ou a Irlanda do Norte e a Croácia enfrenta a Eslováquia, ou ainda o terceiro do Grupo E ou do Grupo F (que pode ser Portugal). No domingo, jogam-se mais três partidas: França contra a Irlanda do Norte ou o terceiro do Grupo E; Alemanha frente à Albânia ou à Eslováquia; e o vencedor do Grupo E ante o vencedor do Grupo F (que pode ser Portugal). Por fim, na segunda-feira, jogam-se as últimas duas partidas, a começar com um escaldante Itália-Espanha e a acabar com o confronto entre a Inglaterra e o segundo do Grupo F (que também pode ser Portugal).