Artigo 

2016-03-01
Factos rápidos da 24ª jornada (3ª parte)

Ao empatar a zero em Guimarães, com o Vitória, o Sporting fez a sétima partida da época sem marcar golos, quarta na Liga. Ao todo, no campeonato, os leões já ficaram em branco contra Boavista (0-0), U. Madeira (0-1), Rio Ave (0-0) e agora V. Guimarães (0-0), desafios aos quais há a somar ainda os zeros contra o Skenderbeu (0-3, na Liga Europa), Leverkusen (0-1, na Liga Europa) e Portimonense (0-2, na Taça da Liga).

 

Em todas as equipas da Liga, só duas têm menos jogos a zero do que o Sporting: o FC Porto, que não marcou em três das 24 jornadas, e o Rio Ave, que só ficou em branco duas vezes. O Benfica soma os mesmos quatro zeros do Sporting, sendo o U. Madeira (13 zeros) e o Boavista (14) as que mais vezes deixaram de fazer pelo menos um golo.

 

O Sporting já duplicou esta época o total de zeros no ataque que tinha tido na Liga anterior, na qual só não marcou golos nas derrotas em Guimarães (3-0) com o Vitória e no Dragão (3-0) com o FC Porto. Em 2013/14, época de Leonardo Jardim, chegou ao fim do campeonato com cinco zeros ofensivos: 0-0 com o Nacional em casa, 0-0 no Estoril, 0-0 com a Académica em Alvalade, 0-2 com o Benfica na Luz e 0-1 com o Estoril em Alvalade.

 

Em contrapartida, os leões estão a ter um excelente desempenho defensivo, pois vão na quarta jornada seguida sem sofrer golos: 0-0 com o Rio Ave, 4-0 ao Nacional, 2-0 ao Boavista e 0-0 com o V. Guimarães. São 392 minutos seguidos sem que Rui Patrício tenha de ir buscar a bola ao fundo das redes, o que o deixa a um jogo e 146 minutos da sua melhor série na corrente Liga, que são os 538 minutos seguidos sem sofrer golos, entre o tento de Josué (5-1 ao V. Guimarães) e o de Rafael Martins (3-1 ao Moreirense, a 13 de Dezembro). Pelo meio, o Sporting ganhou ao Benfica (3-0), ao Estoril (1-0), ao Arouca (1-0), ao Belenenses (1-0) e ao Marítimo (1-0).

 

Ao todo, os leões têm 13 jogos sem sofrer golos nesta Liga, o que já é um a mais do que em toda a Liga anterior, que terminaram com 12 balizas invioladas (em 34 jornadas). Estão a duas partidas com um zero nas redes de Rui Patrício de igualar os 15 zeros em 30 jornadas de 2013/14. E são a equipa que mais vezes deixou os adversários a zero na competição, acima dos 12 zeros da defesa do Sp. Braga e dos onze da defesa do Benfica.

 

Não espanta, por isso, que o Sporting tenha a defesa menos batida da Liga, com 14 golos sofridos, contra os 17 do Benfica. Os leões têm menos cinco golos sofridos do que à 24 ª jornada da época passada, mas estão ainda assim pior o que as melhores defesas desse campeonato, pois por esta altura o FC Porto tinha sofrido apenas dez golos e o Benfica onze. A defesa do Sporting está a repetir a performance de 2013/14, quando chegou à 24ª jornada com os mesmos 17 golos sofridos.

 

Diferentes são as contas dos pontos. Apesar de ter deixado dois pontos em Guimarães, o Sporting chega à 24ª jornada na liderança, com 59 pontos, mais nove do que há um ano, quando tinha 50, e mais cinco do que há dois anos. O Sporting tem, ainda assim, menos três pontos do que o líder da época passada, que era o Benfica de Jesus, com 62 pontos. Aliás, não se vê um campeão em Portugal com menos pontos à 24ª jornada desde 2011/12, quando o FC Porto de Vítor Pereira venceu a Liga e tinha apenas 57 pontos por esta altura.

 

Ainda assim, este continua a ser o melhor Sporting à 24ª jornada desde que a vitória passou a valer três pontos, superando os 55 pontos que tinha a equipa de Fernando Santos em 2003/04 e os 54 da formação de Leonardo Jardim em 2013/14. Mesmo as equipas que entretanto foram campeãs não estavam tão bem: em 2001/02, com Bölöni, o Sporting somava 53 pontos à 24ª jornada e em 1999/00, com Inácio, estava nos 52. Para se encontrar um Sporting mais forte, adaptando as regras de pontuação antigas às atuais, é preciso ir até 1979/80, quando os leões chegaram à 24ª jornada com 41 pontos que, com a vitória a três pontos, equivaleriam a 60.

 

O Sporting somou ainda o segundo jogo consecutivo sem ganhar, o que lhe aconteceu pela quinta vez esta época. Nas quatro anteriores reagiu sempre à terceira partida. Ganhou à Académica (3-1) depois de empatar com o Paços de Ferreira (1-1) e de perder com o CSKA (1-3); ganhou ao V. Guimarães (5-1) depois de empatar com Boavista (0-0) e Besiktas (1-1); ganhou ao Paços de Ferreira (3-1) após perder com Sp. Braga (3-4) e U. Madeira (0-1); e voltou a vencer o Paços de Ferreira (3-1) depois de empatar com o Tondela (2-2) e perder com o Portimonense. Agora, na sequência da derrota com o Leverkusen (1-3) e do empate em Guimarães com o Vitória, terá pela frente o Benfica.

 

O V. Guimarães, em contrapartida, vai em nove jogos seguidos sem perder, depois de ter sido batido em casa pelo Benfica, por 1-0, a 2 de Janeiro. Os últimos quatro foram empates (1-1 em Tondela, 2-2 em casa com o V. Setúbal, 3-3 em Braga e agora 0-0 com o Sporting), mas antes o Vitória tinha ganho ao U. Madeira (3-1), empatado com o Belenenses (3-3), batido o FC Porto (1-0), empatado com o Arouca (2-2) e vencido o Moreirense (4-3). Com estes nove jogos, Sérgio Conceição superou a melhor série dos anos de Rui Vitória à frente do clube, que foram os oito jogos seguidos sem perder entre Dezembro de 2012 e Fevereiro de 2013. Para se encontrar melhor no historial dos minhotos é preciso recuar ao período entre Janeiro e Outubro de 2007, quando estiveram 22 jogos sem conhecer a derrota (ainda que os primeiros 14 correspondessem à II Liga).